Elisa Lucinda

Elisa Lucinda

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Minh’alma na Chapada


Estou de volta a minha terra
Deixei a alma na Chapada
Admirando a natureza bela
Enquanto eu pegava a estrada

Com certeza irei voltar
Já virou segunda casa
Breve irei reencontrar
A minh’alma na Chapada.

quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Como encontrar com Deus


Ter um encontro com Deus é ajudar os mais necessitados, é doar, ao invés de receber quando não se tem necessidade. É matar a fome de quem está com fome e a sede de quem está com sede, é vestir quem não tem vestimenta, é visitar o doente, pq toda vez que fazemos o bem a um necessitado, ao próprio Deus estamos fazendo. Sendo assim, cada vez que alguém foge de um necessitado está fugindo de ter um encontro com Deus. "Em verdade vos digo que quando o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes." Disse Jesus. Mt 25:40

Plataforma: Seus líderes, amigos e cabos eleitorais


Na última eleição para vereador apareceram pessoas de Plataforma lançando candidatura, alguns nomes para mim foi uma surpresa, achei interessantíssimo para o bairro, já que até então o que tínhamos eram cabos eleitorais recebendo dinheiro e oferendo os votos do nosso povo. Já me manifestei sobre isso antes, detesto esse tipo de coisa, faço distinção entre líder comunitário, amigo do povo e cabo eleitoral. Um verdadeiro líder comunitário é alguém que não busca seus próprios interesses e sim o interesse da comunidade, ele se destaca pela forma de organização que implementa na comunidade, porém ele é eleito líder através de uma Associação de Moradores com estatuto registrado em cartório, eleições, chapas e transparência no processo eletivo, o amigo do povo é aquele que age da mesma forma que um líder comunitário, porém ele não foi eleito líder comunitário, é até chamado de líder comunitário por aqueles que identificam nele uma liderança, já o cabo eleitoral é aquele cidadão que não tem interesse em se aproximar do povo, o que ele quer mesmo é aproximar-se de políticos de carreira visando benefício próprio, emprego em empresas públicas ou assessoria parlamentar, é o cara que passa anos sem se importar com o povo, e justamente agora vai aparecer batendo na sua porta apresentando um candidato que você nunca viu no bairro, que não caminhou com a comunidade nos últimos quatros anos e que depois da vitória não voltará mais. Os políticos adoram esses caras, mas também tem políticos que se cercam de pessoas que tem caráter, consciência social, solidariedade e que amam a humanidade e buscam construir com essas pessoas um projeto. Fujam daqueles que levam desconhecidos para seu bairro e abrace candidatos do seu bairro, o bom seria se Plataforma se unisse em torno de uma única candidatura, se dependesse de mim sentaria à mesa com todos os candidatos do bairro para discutir um projeto e levantar um único nome, mas infelizmente não será assim. Respeito e parabenizo todos aqueles que serão candidatos e fico triste com aqueles que trarão para nossa comunidade nomes que apenas veremos nos jornais nos próximos quatro anos.