Elisa Lucinda

Elisa Lucinda

terça-feira, 31 de julho de 2012

Boas vindas da Academia de Letras do Brasil Seccional Suiça

Parabéns pela sua eleição nesta casa, cujo imortal Euclides da Cunha é Patrono.
Morada da literatura e abrigo das artes, a Seccional/Suíça-ALB é a ponta de lança, o posto avançado no velho mundo da Academia de Letras do Brasil. Uma seccional estratégica para projetos e ações da ALB, no que tange a internacionalização do movimento acadêmico brasileiro e seus acadêmicos e obras.
Fazer parte de uma seccional internacional é um grande privilégio e ao mesmo tempo uma árdua e trabalhosa missão. Pois estar representando as letras do Brasil no exterior é trabalhar dobrado para promover a nossa língua e as nossas artes e difundir, defender e preservar nossos valores, culturais e artísticos. Aqui não fazemos distinção entre membros, sejam eles correspondentes ou efetivos. Aqui temos as mesmas responsabilidades e propósitos. Portanto a participação de cada um com ideias, colaborações e projetos é de extrema importância para todo o coletivo.
Temos sempre que lembrar que representamos uma academia de porte internacional, com diversos membros espalhados pelo mundo e no Brasil é a maior academia de Letras, com seccionais em mais de 95% do território nacional. Sendo assim temos uma enorme responsabilidade de como membros no exterior fazer, e fazer bem este representar e buscar como desbravadores, abrir caminhos para que toda a ALB, nossos Confrades e Confreiras e suas obras, possam internacionalizarem-se assim assegurarmos para as gerações futuras a garantia de ter em terras estrangeiras acesso a nossa arte e nossa cultura.
A ALB e cada um dos seus membros em todo o mundo comemora a vossa presença e conta com você para que avancemos sempre!
Em nome do nosso Presidente Nacional Prof. Dr. Mario Carabajal Lopes, dou-lhe as boas vindas!
Paz a Luz,
Att,
Dr. Carlos Ventura.

Eu quero é prisão.

Querem que eu acredite
Nesse tal de julgamento
Acho que eles pensam
Que sou burro ou jumento.

Assim como tentaram
Fazer-me acreditar
Que o Lula não sabia
Enquanto isso Lulalá.

Já estou cansado disso
De deputado e mensalão
Queria ver alguém preso
Mas ninguém vai pra prisão.

Um ou outro é cassado
Mas tem outra profissão
Quando não aposentado
Recebendo seu quinhão.

O Brasil é humilhado
Por alguns de seus políticos
Que não representam o povo
Mas apenas seus partidos.

segunda-feira, 30 de julho de 2012

Fala Escritor comemora três anos com livro coletivo

No dia 11 de agosto de 2012, o projeto Fala Escritor realiza edição especial com participação musical de Gibran Sousa e Banda e os convidados Daniela Galdino e Décio Torres. O evento terá, também, apresentação de música com Carlos Barros e Vércia Gonçalves.


Desde 2009 o projeto promove, mensalmente, recital de poesia, lançamento de livros, conferências literárias, apresentações musicais, entre outras ações ligadas aos livros e à literatura. Para a comemoração de três anos, além das atrações musicais e recital com os poetas presentes, será divulgado o livro “Fala Escritor em Prosa e Poesia – 2012”, que será lançado no estande da Livraria Loyola, no dia 17 de agosto de 2012, às 19:30h, ao preço de R$ 30,00, durante a 22ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo, com a presença dos escritores Valdeck Almeida de Jesus, Renata Rimet e Luiz Menezes de Miranda.


Outra comemoração da noite será o Dia do Estudante, por isso, convidamos o jovem escritor e estudante do ensino médio Bruno Máriston, que participará do quado 'Quem é o Escritor?'. Máriston é idealizador do blog Revista Semanal Jovem, que conta com oito colunistas, dos quais, seis são seus colegas do Colégio da Polícia Militar - Lobato. A Revista já tem mais de 12 mil visualizações e os colunistas escrevem sobre esportes, jogos, música, política, filmes, eventos culturais e literatura. Além da Revista, ele também faz publicações em seu blog pessoal, privilegiando neste a sua poesia como nos versos a seguir: Ao teu lado desconheço os limites/ Minha vida sem tu não faz sentido/Mal acredito que hoje sou seu namorado/ Pois outrora fomos apenas bons amigos...


Segundo Valdeck Almeida de Jesus, um dos integrantes do grupo, o mês de agosto é mágico para o projeto Fala Escritor. “São três anos promovendo a poesia, o livro e os escritores baianos. Muita água rolou, muitos poetas e poetisas participaram das apresentações e encantaram a plateia com a magia da palavra e das performances poéticas. Tudo aliado à boa música, palestras relativas ao mundo literário, lançamentos de livros e muita amizade”. E por falar em aniversário, Jorge Amado completaria 100 anos em 10 de agosto de 2012 e será homenageado pelo Fala Escritor! 


O fundador do projeto, Leandro de Assis, diz "são três anos de muita luta e determinação para colocar em evidência a produção dos novos autores baianos e fazê-los dialogar com um público ávido por literatura. Tenho certeza que existe um novo Jorge Amado entre nós, é questão de tempo para ele ser conhecido e reconhecido; temos, também, Castro Alves e Gregório de Matos e os leitores precisam ter acesso a essa galera que produz poesia e literatura em nossa terra. Esta é a missão do Fala Escritor, para isso pensei o Projeto".





Com o lema “Aqui você acontece!”, o projeto Fala Escritor abre suas portas para poetas, cronistas, contadores de causos e de histórias, além de outros artistas que queiram mostrar sua arte. Os interessados devem confirmar presença, através do e-mail: falaescritor@hotmail.com


Serviço:

O que: Fala Escritor especial três anos
Onde: Mega Store Saraiva Iguatemi (Espaço Glauber Rocha).
Quando: Dia 11 de agosto (sábado), a partir das 18h.
Entrada: Gratuita
Informações: (71) 9345-5255 / 8122-7231

sábado, 21 de julho de 2012

Seminário da União Brasileira de Escritores: Uma grande celebração a Literatura



     Ontem estive no seminário realizado pelo núcleo baiano da União Brasileira de Escritores na Biblioteca Pública do Estado da Bahia (Barris) representando o Fala Escritor. Mas antes de falar do Projeto, contei um pouco da minha história e dos meus sonhos em relação à arte literária, pois esta história é a base e os motivos que me levaram a criar um projeto literário voltado a descobrir novos escritores e auxiliá-los com informações sobre escrita, publicação, venda e lançamento de livros. Reforcei nossos objetivos ao afirmar que nossa alegria é quando alguém pela primeira vez resolve ler um texto ou recitar uma poesia e isso por conta do nosso trabalho e citei Bruno Máriston e a Revista Semanal Jovem.





     A primeira mesa foi composta por membros idealizadores dos movimentos literários que a mais de uma década estão consolidados na Bahia e que muito contribuíram e ainda contribuem para o crescimento da literatura em nossa terra. O ilustre professor Germano Machado representou o CEPA (Círculo de Estudo Pensamento e Ação), José da Boa Morte o Movimento Cultural Artpoesia, Roberto Leal Fundação e Editora Ómnira e José Siqueira da Rocha o Grupo de Ação Cultural da Bahia.

Germano Machado, José da Boa Morte, Roberto Leal e José Siqueira Rocha
Foto: Delci Silva Leal

     Aos 86 anos, o professor Germano Machado demonstrou vigor de menino ao falar das lutas e das vitórias do CEPA (fundado na década de 60) e algumas dessas vitórias estavam ali do seu lado e fizeram questão de mencionar a importância do Círculo para suas vidas e seus movimentos. Emocionados, Roberto Leal, José da Boa Morte e José Siqueira Rocha disseram que dão créditos a movimentos que tiveram raiz ou influência Cepista e mencionaram a presença de Ivan de Almeida e Carlos Alberto Barreto que também tiveram influência do CEPA.

Nelson Maca, James Martins, Leandro de Assis e Carlos Sousa
Foto: Valdeck Almeida

     Na segunda mesa, presidida por Carlos Sousa, presidente da UBE-BA, tive a honra de sentar ao lado de James Martins representando o Pós-Lida, evento literário que há três meses agita a cena literária soteropolitana e do Nelson Maca do Sarau Bem Black. Apesar de ainda não ter ido ao Sarau Bem Black, venho acompanhando as notícias e gosto de projetos que abrem portas para outros projetos e no caso do Bem Black, tem recebido até representantes de saraus de outros estados. Já o James Martins, acompanho suas publicações no blog ‘Gênio Descompreendido’ no site Metro1 (Grupo Metrópole) e o recebi na última edição do Fala Escritor. Ambos falaram dos seus eventos divulgando quando e onde são realizados.

Vanderlei de Morais Filho, Douglas de Almeida e valdeck Alemida de Jesus
Foto: Leandro de Assis

      A última mesa foi composta por Douglas de Almeida do Viva a Poesia Viva, João Vanderlei de Morais Filho do Caruru dos Sete Poetas e Valdeck Almeida de Jesus do Galinha Pulando e Prêmio Literário Valdeck Almeida de Jesus. O Viva a Poesia Viva acontece no Espaço Cultural da Barroquinha e recebe poetas e cordelistas e outros artistas, o Caruru dos Sete Poetas é um fenômeno, acontece no Largo d’Ajuda, em Cachoeira e recebe um público de mais de 500 pessoas e o Galinha Pulando, já publicou mais de 1000 poetas do mundo inteiro.

Foto: Valdeck Alemida   

     O Seminário contou com a presença do candidato a prefeito de Salvador Hamilton Assis (Psol) e do jornalista, escritor e candidato a vereador Valdeck Filho. Roberto Leal da Fundação Ómnira também é candidato a vereador pelo Psol-BA e junto com Hamilton se propõe a apoiar a literatura e os eventos culturais. Valdeck Filho falou sobre seu livro Nos Bastidores do Na Mira e distribuiu exemplares autografados para todos que ficaram até o final do seminário.

Foto: Valdeck Almeida

     Agradeço ao núcleo baiano da União Brasileira de Escritores pela oportunidade e a todos os amigos que compareceram na Biblioteca Pública do Estado para prestigiar o evento. A quantidade de pessoas que apoia e faz o Fala Escritor acontecer é muito grande, por isso peço desculpas pelos nomes que não citados, mas que, com certeza, serão citados em outros eventos e também nas reuniões do Fala Escritor, não me negarei a citar nomes e continuarei a pedir desculpas sempre que tentar citar alguém, pois não faço o Fala Escritor sozinho e preciso agradecer aos amigos.

quarta-feira, 18 de julho de 2012

Fala Escritor em Prosa e Poesia 2012 no site da Bienal do Livro de São Paulo

    
 Durante a programação de aniversário, o grupo anuncia lançamento da obra “Fala Escritor em Prosa e Poesia – 2012” e faz homenagem a Jorge Amado no Centenário de NascimentoNo dia 11 de agosto de 2012, o projeto Fala Escritor realiza edição especial com participação musical de Gibran Sousa e Banda e os convidados Daniela Galdino e Décio Torres. O evento terá, também, apresentação de música com Carlos Barros e Vércia Gonçalves.Desde 2009 o projeto promove, mensalmente, recital de poesia, lançamento de livros, conferências literárias, apresentações musicais, entre outras ações ligadas aos livros e à literatura. 

    Para a comemoração de três anos, além das atrações musicais e recital com os poetas presentes, será divulgado o livro “Fala Escritor em Prosa e Poesia – 2012”, que será lançado no estande da Livraria Loyola, no dia 17 de agosto de 2012, às 19:30h, ao preço de R$ 30,00, durante a 22ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo, com a presença dos escritores Valdeck Almeida de Jesus, Renata Rimet e Luiz Menezes de Miranda. Organizado por Valdeck Almeida de Jesus, um dos coordenadores do Fala Escritor, a obra tem textos de Carlos Alberto Barreto, Bruno Mariston, Carlos Souza, Cristiano Souza, Cymar Gaivota, Dé Barrense, Deomídio Macêdo, Everton Lina, Fau Ferreira, Gibran Sousa, Iraildo Dantas, Jônatas o Romântico, Jorge Carrano, José da Boa Morte, Josué Ramiro, Leandro de Assis, Luís Menezes de Miranda, Malú Ferreira, Pinho Sannasc, Renata Rimet, Rosana Paulo, Simeão Sousa, Ivone Alves Sol, Tássio Revelat, Tina Tude, Valdeck Almeida de Jesus, Vanise Vergasta, Varenka de Fátima, Vera Passos, Carlos Ventura, Dedeco Lima e Carla Elísio.

    Segundo Valdeck Almeida de Jesus, um dos integrantes do grupo, o mês de agosto é mágico para o projeto Fala Escritor. “São três anos promovendo a poesia, o livro e os escritores baianos. Muita água rolou, muitos poetas e poetisas participaram das apresentações e encantaram a plateia com a magia da palavra e das performances poéticas. Tudo aliado à boa música, palestras relativas ao mundo literário, lançamentos de livros e muita amizade”. E por falar em aniversário, Jorge Amado completaria 100 anos em 10 de agosto de 2012 e será homenageado pelo Fala Escritor! 

    O fundador do projeto, Leandro de Assis, diz "são três anos de muita luta e determinação para colocar em evidência a produção dos novos autores baianos e fazê-los dialogar com um público ávido por literatura. Tenho certeza que existe um novo Jorge Amado entre nós, é questão de tempo para ele ser conhecido e reconhecido; temos, também, Castro Alves e Gregório de Matos e os leitores precisam ter acesso a essa galera que produz poesia e literatura em nossa terra. Esta é a missão do Fala Escritor, para isso pensei o Projeto".

   Com o lema “Aqui você acontece!”, o projeto Fala Escritor abre suas portas para poetas, cronistas, contadores de causos e de histórias, além de outros artistas que queiram mostrar sua arte. Os interessados devem confirmar presença, através do e-mail: falaescritor@hotmail.com

  O projeto Fala Escritor começou com a iniciativa do historiador Leandro de Assis em parceria com os jornalistas Valdeck Almeida de Jesus e Carlos Souza, a blogueira Delirium, a filósofa Fau Ferreira, o sindicalista e cientista social Grigório Rocha e a administradora e estudante de letras Renata Rimet. No primeiro ano eles realizaram dez edições comuns do Fala Escritor e uma edição especial no Espaço Cultural da Câmara Municipal de Salvador, levaram o projeto ao Fórum Social Mundial Temático – Bahia; lançaram o livro Fala Escritor em Prosa e Poesia, e promoveram o lançamento de mais 21 livros de diversos autores, além de abrir espaço para poetas e poetisas recitarem seus poemas. Atualmente a equipe é composta por Carlos Souza, Cymar Gaivota, Jorge Carrano, Leandro de Assis, Pinho Sannasc, Renata Rimet e Valdeck Almeida de Jesus.


Serviço:


O que: Fala Escritor especial três anos
 Onde: Livraria Saraiva Mega Store do Shopping Iguatemi (Espaço Glauber Rocha).
Quando: Dia 11 de agosto (sábado), a partir das 18h. 
Entrada: Gratuita
Informações: (71) 9345-5255 / 8122-7231www.falaescritor.blogspot.com

terça-feira, 17 de julho de 2012

Correio 24 Horas e Ibahia.com divulgam congresso da UBE e participação de Leandro de Assis

Publicada em 17/07/2012 às 09h20. Atualizada em 17/07/2012 às 09h24

iBahia'Dia do Escritor' será celebrado na Biblioteca Pública com seminário



Dividido em três blocos, o evento reúne coordenadores de diversos movimentos literários



Emília Oliveira
(emilia.oliveira@redebahia.com.br)
publicidade
Para celebrar o 'Dia do Escritor', comemorado 25 de julho, a União Brasileira de Escritores (UBE/BA) promove, na Biblioteca Pública do Estado da Bahia, o seminário Movimentos Literários Contemporâneos da Bahia. Dividido em três blocos, o evento  reúne coordenadores de diversos movimentos literários, que falam sobre a história e projetos realizados. Na ocasião, também será realizado uma minifeira de livros com obras publicadas pelos grupos presentes e recital de poesia. O evento, que será realizado em 20 de julho, é gratuito.

Novo! Visite a página de Literatura
Entre os convidados estão: Círculo de Estudo Pensamento e Ação – CEPA (Germano Machado); Movimento Cultural Artpoesia (José da Boa Morte); Grupo de Ação Cultural da Bahia – GACBA (José Siquara da Rocha); Projeto Fala Escritor (Leandro de Assis); Viva a Poesia Viva (Douglas de Almeida); Caruru dos Sete Poetas (João Vanderlei de Moraes Filho); Sarau Bem Black (Nelson Maca); Galinha Pulando / Prêmio Literário (Valdeck Almeida de Jesus); Fundação e Editora Òmnira (Roberto Leal) e Pós-Lida (James Martins).

ServiçoLocal - Biblioteca Pública do Estado da Bahia - Sala Luiz Orlando (3º andar)
Data - 20 de julho
Horário - A partir das 17 horas
Evento gratuito

Correio*________________________________________________________________________________________
'Dia do Escritor' será celebrado na Biblioteca Pública com seminário

Dividido em três blocos, o evento reúne coordenadores de diversos movimentos literários

17.07.2012 | Atualizado em 17.07.2012 - 09:54
Visualizações: 182
Tamanho da letra: -A | +A



Para celebrar o 'Dia do Escritor', comemorado 25 de julho, a União Brasileira de Escritores (UBE/BA) promove, na Biblioteca Pública do Estado da Bahia, o seminário Movimentos Literários Contemporâneos da Bahia. Dividido em três blocos, o evento  reúne coordenadores de diversos movimentos literários, que falam sobre a história e projetos realizados. Na ocasião, também será realizado uma minifeira de livros com obras publicadas pelos grupos presentes e recital de poesia. O evento, que será realizado em 20 de julho, é gratuito.
Entre os convidados estão: Círculo de Estudo Pensamento e Ação – CEPA (Germano Machado); Movimento Cultural Artpoesia (José da Boa Morte); Grupo de Ação Cultural da Bahia – GACBA (José Siquara da Rocha); Projeto Fala Escritor (Leandro de Assis); Viva a Poesia Viva (Douglas de Almeida); Caruru dos Sete Poetas (João Vanderlei de Moraes Filho); Sarau Bem Black (Nelson Maca); Galinha Pulando / Prêmio Literário (Valdeck Almeida de Jesus); Fundação e Editora Òmnira (Roberto Leal) e Pós-Lida (James Martins).

Serviço
Local - Biblioteca Pública do Estado da Bahia - Sala Luiz Orlando (3º andar)
Data - 20 de julho
Horário - A partir das 17 horas
Evento gratuito

segunda-feira, 16 de julho de 2012

Viatura dos bombeiros está sem água e a sociedade sem comandante


      Interessante ver como as pessoas ficam surpresas quando assistem ou escutam uma notícia ou até quando leem num jornal, algo do tipo: “A viatura dos bombeiros está sem água”. O que será que acontece quando há uma manutenção na EMBASA e, por isso, a empresa corta o fornecimento de água? Os tanques das casas continuam cheios ou se esvaziam? Pois é, se esvaziam, por isso não entendo porque a sociedade fica bestificada quando leem que os 4 mil litros d’água de uma viatura terminaram, por um acaso viatura é fonte que jorra eternamente?

      Na maioria dos prédios antigos de Salvador não existe Sistema de Hidrante Predial, que é composto por reservatórios de água, bombas de incêndio, tubulações, hidrantes, abrigos e registros de recalque. Então, como as guarnições do corpo de bombeiros, principalmente a primeira a chegar ao local sinistrado, dará continuidade à ação de combate, após o fim dos quatro mil litros d’água disponíveis na viatura? Enfim, ninguém tem se preocupado com isso, preferindo não analisar a situação.

      Enquanto a sociedade não abrir os olhos e cobrar responsabilidade aos verdadeiros responsáveis por esta cidade, continuarão culpado o professor, o policial, o bombeiro, e os socorristas do SAMU que tem se dedicado e passado por cima das dificuldades da esfera pública para prestar um ótimo atendimento para a sociedade. Neste ano, teremos oportunidade de escolher alguém competente para gerir Salvador, a maioria dos candidatos já tem uma história pública e alguns, uma história péssima e vergonhosa.

     Porém, assim como não analisam uma informação passada pelos jornais, não analisam a história de cada candidato a prefeito e vereador (a) para esta cidade. Se isso mais uma vez acontecer, seremos pegos, mas não de surpresa – avisado já está – por grandes tragédias. Com isso, posso concluir parabenizando os bombeiros que atuaram com êxito na extinção do incêndio ocorrido hoje no Instituto do Cacau mesmo com todas as dificuldades estruturais próprias, do antigo prédio e do bairro do Comércio.

Leandro de Assis
Professor, escritor, poeta e bombeiro militar

domingo, 15 de julho de 2012

LITERATURA CLANDESTINA LANÇA CAMPANHA DE DEVOLUÇÃO DE LIVROS

Iniciativa prevê o abono da multa pelo atraso na entrega. No detalhe do pôster da campanha, a atriz e escritora Eliane Silvestre com as “Memórias de um Herege Compulsivo”, de Elenilson Nascimento.

O blog LC lança a campanha “Devolução dos Livros Emprestados”. Isso porque é grande o número de títulos que não são devolvidos nas bibliotecas públicas e no acervo de particulares. O objetivo é conscientizar as pessoas a entregarem os exemplares emprestados.

Quem, por eventualidade, esteja com algum exemplar em atraso, poderia fazer a entrega do material sem a necessidade de pagar a multa, contudo, terá que renovar os dados cadastrais. Consequentemente, os leitores estarão liberados para usufruir novamente do acervo e o livro ficará livre para ser lido por mais pessoas.

E ao contrário do que aconteceu com Elenilson Nascimento – confira aqui – e que acontece frequentemente na Biblioteca dos Barris, em Salvador – BA, onde por total falta de treinamento e bom senso os funcionários são incapazes de realizarem um bom trabalho de conscientização e, muitas vezes, ignoram por completo a importância dos livros.    

Segundo pesquisa entre os bibliotecários baianos, há falta de mais de 1.000 títulos, entre eles"O Caçador de Pipas", “Clandestinos”, "Código da Vinci", "O Corpo Fala"; “Poemas de Mil Compassos”, "Arte da Guerra", “Diálogos Inesperados Sobre Dificuldades Domadas”, "Romanceiro da Inconfidência", "Ponto de Impacto", "Zoom", “Memórias de um Herege Compulsivo”, "Laços Eternos", "Nada é Por Acaso", "Talismã", e diversas obras deMonteiro Lobato, Machado de Assis, Nelson Rodrigues, Augusto Cury, Cecília Meireles, entre outros.

sexta-feira, 13 de julho de 2012

“Palavra de Polícia - Outras Armas”



      Conhecedor do meu envolvimento com a literatura, o Major do subgrupamento onde trabalho indicou-me para participar de uma Oficina de Poesias para servidores estaduais e municipais que atuam com a segurança pública. Outro militar indicado para participar foi o Sargento Adailton Batista, que também é escritor e poeta, autor do livro Usos e Costumes – Um obstáculo ao crescimento das igrejas evangélicas. Fiquei curioso para saber como seria e aguardei da data do acontecimento até que chegou um material explicativo via e-mail que me deixou irritado, então comecei a me armar para receber os professores da Oficina, mas é claro que, com palavras.

      O material de apresentação do projeto dizia em sua conclusão que a poesia seria utilizada como ferramenta para, entre outras coisas, ajudar a “mudar o olhar de cada participante, a sua conscientização sobre sua função social e suas raízes e sua integração”. Mas como assim MUDAR meu olhar? O que é que eles sabem sobre minha conscientização e meu olhar para antes mesmo de me conhecerem acharem que precisa ser mudado? Pensei... Bem, devem estar achando que me conhecem pelo simples fato de eu ser militar, como se todos fossemos iguais. Depois disso, pirei pelos “outras armas”, senti que o material estava me dizendo que a palavra como arma na resolução dos problemas do dia-a-dia estava sendo colocada como uma grande novidade no trabalho militar.

     Enfim, chegou o dia da oficina e tive a grata surpresa de encontrar a atriz Tina Tune entre os participantes e reconheci Elisa Lucinda, mas não me lembrava de onde; gosto de novela, mas não ligo muito pra vida de artista. Então Tina me lembrou dos vídeos do Youtube com Elisa recitando e me lembrei do vídeo Mulata Exportação, nossa foi uma alegria imensa neste momento, pois amei o texto e a interpretação, percebi que neste aspecto eu tinha MUITO que aprender naquela oficina. Então pensei: Vou aprender o que eu preciso e esquecer o resto, mas não consegui esquecer logo na apresentação da equipe por um dos Coordenadores do Cine Teatro a questão “polícia desumana” veio à tona, como se já bastasse estar escrito na divulgação oficial da prefeitura: "A oficina “Palavra de polícia: outras armas”, coordenada pela atriz e poetisa Elisa Lucinda, terá o desafio de humanizar e... (http://www.laurodefreitas.ba.gov.br/admin/app_index.php?chave=7bb0b3a46f78651c75625afabd19a0883deefd66&acao=exibir_texto)

     Eu já estava armado e minha língua coçou para falar naquele momento, mas não queria ser o cara chato logo no início, tinha que sentir o ambiente, mas um PM líder comunitário se levantou, pediu a palavra e falou do seu trabalho na comunidade onde mora e isso me deixou satisfeito. O trabalho começou, dizemos nossos nomes e uma palavra que significasse algo pra cada um de nós, logo depois garimpamos entre os diversos livros um poema para que pudéssemos sentir e visualizar o que o texto estava nos dizendo e assim passamos o dia namorando, cada qual com seu texto, e aquela palavra “mudar” continuava na minha cabeça, agora ela tinha uma companheira “humanizar”.

     No segundo dia da Oficina, eu já estava mais estressado, pois a desconfiança de que eu e outros militares não iríamos retornar para a atividade era muito grande e isso também me incomodava, pois não havia motivo para a gente não retornar, apesar dos sinais de pré-julgamento. Enfim, a oportunidade que eu esperava aconteceu, estávamos sentados em forma de círculo no palco e Elisa falou o que pensava sobre o trabalho da polícia (vídeo no final) e disse que queria nos ouvir, naquele momento pude então conhecer um pouco mais Elisa Lucinda, conhecer os outros participantes da Oficina e ela ouviu tudo isso que você acaba de ler, a minha visão sobre a Oficina até aquele momento.

     Foi um momento bastante legal, foi muito bom pra mim colocar pra fora tudo o que estava me deixando aflito desde o dia anterior, a partir da fala de Elisa Lucinda, percebi que o MUDAR do material de apresentação da Oficina foi um equívoco e que não refletia a realidade. Inclusive, a mesma disse que irá rever o material e que irá retirar esta palavra dele e os outros integrantes da equipe de coordenação da Oficina também se manifestaram. Achei super bacana também o depoimento do Sargento Adailton Batista, que trabalha na formação policial militar a mais de 10 anos e deixou bem claro que a violência começa quando o Estado falha na educação básica e fundamental aliando a falta de planejamento familiar e outros fatores sociais, não podendo ser a polícia a responsável pela violência.

      Lavada a “roupa suja”, a equipe que a Lucinda trouxe para fazer a Oficina era muito competente e prestei atenção em tudo que eles ensinaram e eles conseguiram realmente nos ajudar com a auto-estima, eloquência, desinibição, memorização, erudição e criatividade que também estava na proposta da Oficina. Foi lindo e emocionante assistir meus colegas recitando para o público a noite, havia familiares, comandantes das CIPM’s de Lauro de Freitas, a prefeita Moema Gramacho, representantes da OIT (Organização internacional do Trabalho) e pessoas que foram pelo simples fato de gostarem de poesia e de arte. Fui um dos primeiros a apresentar e errei meu poema, já no finalzinho inverti os versos, fingi que nada aconteceu e fui me sentar, Elisa olhou pra mim e disse: “Leandro, volta e faz novamente” - fui até ela sorrindo, beijei-a no rosto e voltei, errei novamente e desinibido que estava “cai” na gargalhada, sem nenhuma vergonha na cara, ai fiz somente a parte final e sentei.
   
     Foi uma oportunidade ímpar, aprendi com uma das melhores no ramo da poesia no país, segundo a revista Raça, edição número 152, que trás Elisa Lucinda na Capa, seu livro Parem de Falar Mal da Rotina (Texto Editora, do grupo Leya, 2010) lançado no final do ano passado é o segundo livro mais vendido no Rio de Janeiro depois de Tropa de Elite. Além de me deixar desinibido, esta oficina me fez acreditar ainda mais no poder da poesia, renovando minha auto-estima para poder continuar na luta literária, levando a poesia para as escolas, para as comunidades e abrindo espaço através do Fala Escritor para outros artistas da palavra na Bahia, viva a poesia e viva a Escola Lucinda de Poesia Viva.

Leandro de Assis / Sd BM De Assis / Lauro de Freitas-BA
Escritor, professor, poeta e idealizador do Projeto Fala Escritor

Palavras de Elisa Lucinda:
video

quarta-feira, 11 de julho de 2012

“PALAVRA DE POLÍCIA – OUTRAS ARMAS”

Amanhã estarei participando do Recital Poético organizado pela atriz e poetisa Elisa Lucinda 

terça-feira, 10 de julho de 2012

Eu escolhi te amar

Todos os dias eu leio frases de amor no Facebook, vejo também frases de efeito que dizem o quanto uma pessoa é importante para a outra e, em outro momento, leio frases de pessoas que tentam se reerguer por terem terminado um relacionamento. O que me chama atenção nessas frases é que os seus autores parecem querer dizer muito mais que o que está escrito e exposto para o mundo através de uma rede social.


     Todos os dias penso no amor, não por ser poeta, mas sim por amar, por ter alguém especial ao meu lado, alguém que acredito que foi separada por Deus para mim e que em um momento da minha vida Ele tocou no meu coração e disse: “É ela, agora é com você, conquiste-a”. E assim fiz, depois de muita luta, frustrações, erros e perdão por ambas as partes. Depois de um período de aprendizado chegou o momento de vivermos juntos.

     É uma coisa muito louca e muito boa de viver, realmente faltam palavras para expressar o amor, seja numa frase, numa crônica ou num livro inteiro, sempre faltarão palavras, outra coisa interessante é que ninguém quer ouvir apenas eu te amo; quem nunca teve como resposta: “só isso, eu te amo, e o que mais?”. Assim como uma multidão de palavras não é suficiente para explicar o amor, dizer apenas eu te amo é pouco para quem deseja muito ouvir essa frase.

     Enfim, o complemento da frase eu te amo, não necessariamente tem que ser “eu não vivo sem você”, além do mais, todos conhecem a cura do tempo, não que o amor precise de cura, pois não é uma doença. O que estou dizendo é o que todos já sabem, amar é mais que mil palavras, amar é uma escolha e uma ou várias atitudes e assim eu ouvi no dia do meu casamento: “Léo, estou casando contigo porque eu escolhi te amar”, para alguns pode ter soado vazio, mas tocou no fundo do meu coração, pois também escolhi amá-la.


segunda-feira, 9 de julho de 2012

INFELIZ CIDADE

“Com o abandono político e também administrativo, Salvador se tornou uma cidade caótica...”

Por Leandro de Assis*

Comecei a ficar apaixonado por Salvador quando Carlinhos Brown cantou “Minha cidade é linda demais”, então, tardiamente, comecei a prestar atenção na beleza deste lugar. A partir daí, comecei a desfrutar de tudo que há de bom neste paraíso tropical com suas praias e paisagens, não esquecendo o nosso povo alegre, aquele mesmo que “vai batucar na panela vazia e fazer carnaval”(Terra Samba). Hummm... Agora o bicho pegou, pois, aí que começam os problemas da nossa cidade, tornando-a, a pior capital para se viver, senão uma das piores.
Quando o atual prefeito, João Henrique, se fez candidato pela primeira vez, não votei nele, mesmo com alguns amigos de esquerda colocando aquela pressão anticarlista e com os amigos evangélicos dizendo que evangélico vota em evangélico, aff, discordo, pois só voto em quem tem projeto para a cidade. Mas, enfim, ele venceu e a principal preocupação dos soteropolitanos era: “Vai ter carnaval?” Afinal, era um prefeito evangélico. Pois bem, teve carnaval, teve Bonfim, Yemanjá e todas as festas tradicionais do povo baiano, festas essas, que o prefeito agora frequenta e beija muito.
Para completar, frequentar as festas soteropolitanas é pouco para ele, “o homi” agora abandona a cidade e vai para Disney quando bem entende sem dar satisfações a ninguém e sem passar o cargo para o vice. Com o abandono político e também administrativo, Salvador se tornou uma cidade caótica, suja, fedorenta, esburacada, barulhenta, engarrafada, por vezes alagada, humilhada no cenário nacional, derrotada na busca de investimentos nacionais e estrangeiros e para completar a tragédia dos últimos tempos, a maioria dos vereadores que nada fizeram pela nossa cidade e por diversas deixaram a Câmara Municipal sem sessão por falta de quorum querem se reeleger e para isso, já começaram a fazer carnaval fora de época em alguns bairros para conquistar eleitores.

O prefeito abandona Salvador e vai para a Disney com a namorada.

Estou tentando de todas as formas não usar esta palavra, mas não tem jeito, a “desgraça” está feita e há quem já perdeu as esperanças depois que os partidos anunciaram seus candidatos a sucessão municipal sem trazer nenhuma novidade. Xiiiiiiiii, inchou.... Aos poucos estão acabando com o que há de bom em nossa cidade, até a Praia do Farol tem lama, meu Deus, “meu cantinho de comer, meu cantinho de chover, meu cantinho de viver”, minha  INfeliz cidade. Acorda Senhor este povo que bate na panela vazia, que grita “devolva meu Baêa”, mas que não tem a força para derrubar quem já caiu faz tempo e insiste em fingir que administra nossa INfeliz cidade e para completar a desgraça, nossa juventude está sem aulas a 87 dias. Brasil 512 anos.

Texto publicado no Blog Literatura Clandestina de Elenilson Nascimento.
http://literaturaclandestina.blogspot.com.br/

terça-feira, 3 de julho de 2012

Fala Escritor com o Poeta e Jornalista James Martins



No mês dedicado à Independência da Bahia, o Projeto Fala Escritor reúne  escritores, poetas e músicos para celebrar e partilhar cultura, arte e conhecimento.


Quem É o  ESCRITOR ?

 No quadro “Quem É o Escritor”, o Projeto recebe o jornalista, escritor e poeta James Martins (foto), para falar de suas obras e da relação entre jornalismo e literatura, além de apresentar poesias de sua autoria, James Martins, o gênio descompreendido é irônico por natureza e auto-irônico por esperteza, atualmente trabalha no jornalismo da “Metrópole”, onde dá palpite sobre fatos artísticos e assina uma divertida coluna denominada Enchendo o Saco, também é responsável por movimentar as quintas a noite no Sebo do Praia dos Livros, com o projeto cultural Pós Lida...

MÚSICA

A noite promete ser  harmoniosa, a programação conta com a deliciosa voz de Iara Castro, cantora  “prata da  casa” que possui  o dom de encantar os ouvintes seja com músicas autorais ou com grandes sucessos da MPB.

LANÇAMENTO

Na ocasião, a escritora,poetisa, documentarista  e jornalista Lucymar Soares ("Cymar Gaivota”) estará lançando o  o livro de poesias “Nas Asas da Gaivota”. A obra tem apresentação do jornalista Valdeck Almeida de Jesus e orelhado pelo jornalista, dramaturgo, poeta e presidente da Oficial Academia Tijuquense de Letras/SC Tonni Lima.


Segundo a autora, os poemas pretendem mostrar que não é preciso procurar desesperadamente por grandes temas para ser feliz... “Escrevi este livro pensando em incentivar o leitor a alçar voos em busca de seusideais, seus sonhos...”    declaração da autora sobre seu mais recente trabalho.



RECITAL

A principal finalidade do Projeto Fala Escritor é conceder espaço para escritores e poetas mostrarem  seus trabalhos, falarem um pouco das suas concepções literárias, neste encontro não fugiremos à regra. O microfone mais uma vez estará aberto a todos  os poetas e poetisas que desejarem declamar, recitar ou ainda ler seus textos para uma plateia ávida por conhecer e reconhecer a escrita contemporânea.



SERVIÇO

O quê: Projeto Fala Escritor
Quando: 14 de julho de 2012, a partir das 18 horas
Onde: Livraria Saraiva - Shopping Iguatemi

Movimentos Literários Contemporâneos da Bahia celebra o Dia Nacional do Escritor

O seminário Movimentos Literários Contemporâneos da Bahia celebra a data de 25 de julho, em que se comemora o Dia Nacional do Escritor, reunindo grupos que mantêm a literatura baiana em constante renovação. Entre os convidados, estão o Círculo de Estudo Pensamento e Ação – CEPA (Germano Machado); Movimento Cultural Artpoesia (José da Boa Morte); Grupo de Ação Cultural da Bahia – GACBA (José Siquara da Rocha); Fala Escritor (Leandro de Assis); Viva a Poesia Viva (Douglas de Almeida); Caruru dos Sete Poetas (João Vanderlei de Moraes Filho); Sarau Bem Black (Nelson Maca); Galinha Pulando (Valdeck Almeida de Jesus); Fundação Òmnira (Roberto Leal); e Pós-lida (James Martins). 



Os coordenadores destes grupos vão falar sobre projetos realizados e compartilhar suas experiências. O evento também terá uma mini-feira de livros e recital de poesia. Para os interessados, é necessária confirmação prévia da presença através do e--mail


Biblioteca Pública do Estado da Bahia 
Dia 20/7, 17h às 21h $ Grátis 
Informação: 71 8122-7231 www.ube.org.br 
ube.bahia@gmail.com 
Realização União brasileira de Escritores – UBE/BA.