Elisa Lucinda

Elisa Lucinda

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Afinal de contas, o que é justiça?

Foto: Eder Ferrari/Bahia Notícias

Todo ser humano, seja qual for a sua cultura, tem uma idéia de justiça que ele vai adquirindo com as experiências vividas. Segundo Rosana Madjarof, essa idéia ou sentimento, é algo intrínseco à condição humana, pois o homem normal é dotado de discernimento do bem e do mal, do certo e do errado e do justo e do injusto.

Na enciclopédia livre Wikipédia, o termo justiça é conceituado de maneira simples, “diz respeito à igualdade de todos os cidadãos”. Aristóteles se debruçou sobre o significado da justiça e conseguiu formular duas vertentes: “A primeira possui um caráter moral pessoal, uma espécie de Justiça interior, enquanto a segunda tem uma conotação reguladora, regendo as relações entre os cidadãos, seja de uma forma distributiva ou de uma forma corretiva.” ( Sollberg 2008)

Desta forma, entendo que cada pessoa pode discernir se uma situação, medida ou ação foi ou não justa, independente do que os magistrados interpretaram e julgaram. O que dizer, por exemplo, do caso do goleiro Renê, do Esporte Clube Bahia, suspenso do futebol por um ano, devido ao uso de uma substância chamada furosemida, a mesma que o nadador Cesar Cielo utilizou e foi suspenso da natação por apenas vinte dias? Foi justo?

Talvez tenha sido justo para os doutores da (CAS) Corte Arbitral do Esporte, mas para todos que acompanharam o caso do goleiro, isso foi uma injustiça e das mais sacanas. Será que Renê neste momento sabe o que é justiça? Vejamos suas palavras: “Eu estou arrasado com o que fizeram comigo! Só porque não sou medalhista? Não dou retorno? Não torci contra, só torci pela igualdade! Tenho 33 anos e 3 filhos, que vale muito mais que uma medalha olímpica, nem sei o que dizer".

Alguém sabe o que dizer para ele? Um cidadão que tatuou em seu corpo o amor a pátria através de uma frase do Hino Nacional: "verás que um filho teu não foge a luta". É por essas e outras que eu não acredito na justiça deste país, acredito sim, no amor, na amizade, no bom senso, enfim, no discernimento do bem e do mal de cada cidadão e se este falhar comigo, ainda há a justiça divina para me proteger.


Referências:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Justi%C3%A7a

http://www.mundodosfilosofos.com.br/rosana5.htm

http://www.webartigos.com/articles/9125/1/A-Concepcao-Aristotelica-De-Justica/pagina1.html

http://www.radiometropole.com.br/noticias/index_noticias.php?id=VG1wWmVFNVVaejA9

http://ibahia.com/detalhe/noticia/goleiro-rene-desabafa-apos-resultado-do-julgamento-de-cielo/

http://www.bahianoticias.com.br/noticias/noticia/2010/10/19/76447,goleiro-rene-pega-gancho-pesado.html

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Fala Escritor no Farol da Barra e no Dique do Tororó



É com alegria que convidamos a todos para duas edições especiais, em parceria com o projeto Domingo na Praça, da Fundação Pedro Calmon/SecultBA. A primeira será neste domingo, dia 24, a partir das 9h, no Farol da Barra, e a segunda no domingo seguinte, dia 31, no Dique do Tororó. Os organizadores e poetas do Fala Escritor levarão para as ruas da cidade muita prosa e poesia, com o intuito de incentivar o hábito da leitura, em crianças, jovens e adultos. A Biblioteca Móvel estará à disposição do público no horário das 8h às 12h.

Com o lema “Aqui você acontece!”, abrimos mensalmente, espaço para poetas, cronistas, contadores de causos e de histórias, além de outros artistas que queiram mostrar sua arte para o público de Salvador. O sarau do Fala Escritor acontece sempre dentro dos shoppings, mas o nosso objetivo é levar a poesia para as ruas e praças da cidade. Para começar essa nova etapa, a parceria com o a Biblioteca Móvel será muito positiva, pois estaremos juntos em uma ação já consolidada nas Praças de Salvador.

No veículo da Biblioteca Móvel, o público tem a sua disposição mais de 500 livros e revistas, incluindo obras de vários gêneros das literaturas nacionais, estrangeiras e infanto-juvenis, além de gibis e jornais, que são disponibilizados em estantes e mesas. Os leitores encontram ainda leitura ao ar livre, oficinas literárias, recital de poesia, teatro, arte educadores e contação de histórias, jogos recreativos e educativos.
Serviço:
O que: Domingo na Praça com a participação do Fala Escritor
Onde: Farol da Barra e Dique do Tororó
Quando: Dias 24 e 31, das 8h às 12h
Quanto: Grátis
Contato: 71 3117- 6035

domingo, 17 de julho de 2011

Prêmio Literário Valdeck Almeida de Jesus _Crônicas


1 - O Prêmio Literário Valdeck Almeida de Jesus visa estimular novas produções literárias e é dirigido a candidatos de qualquer nacionalidade, residentes no Brasil ou no exterior, desde que seus trabalhos sejam escritos em língua portuguesa.

2 – As inscrições acontecem de 01 de janeiro a até 30 de novembro, através do e-mail valdeck2007@gmail.com (CRÔNICAS de até 20 linhas, minibiografia de até cinco, endereço completo, com CEP e fone de contato, com DDD). Os textos devem vir DENTRO do corpo do e-mail. Inscrições incompletas serão desclassificadas. Vale a data de postagem no e-mail. NÃO SERÃO ACEITAS INSCRIÇÕES PELOS CORREIOS.

3 - A crônica deve ser inédita, versando sobre qualquer tema (exceto apologia ao uso de drogas, conteúdo racista, preconceituoso, propaganda política ou intolerância religiosa ou de culto). Terão preferências os textos sobre escritores baianos da contemporaneidade. Entende-se como escritores contemporâneos aqueles cuja obra ainda não foi lançada por grandes editoras e que não são conhecidos do grande público. Cada autor responderá perante a lei por plágio, cópia indevida ou outro crime relacionado ao direito autoral. A inscrição implica concordância com o regulamento e cessão dos direitos autorais apenas para a primeira edição do livro.

4 - Uma equipe de escritores faz a seleção de apenas um texto por autor. A premiação é a publicação do texto selecionado em livro, em até seis meses do encerramento das inscrições. Os escritores selecionados devem criar um blog gratuito, após a divulgação do resultado do concurso, para dar visibilidade ao trabalho de todos os participantes. Os casos omissos serão decididos soberanamente pela equipe promotora. Os textos podem receber correções, conforme o Novo Acordo Ortográfico. Os autores que não responderem aos e-mails da comissão solicitando aprovação/desaprovação das correções para publicação, serão eliminados do concurso.

5 - O autor que desejar adquirir exemplares do livro deverá fazê-lo diretamente com a editora ou com o organizador do prêmio. Os primeiros dez classificados receberão um exemplar gratuitamente. Os demais podem receber, a critério da organização do evento e da disponibilidade de recursos financeiros.

MODELO DE FICHA DE INSCRIÇÃO:

Paulo Pereira dos Santos
Rua Santo André, 40 – Edf. Pedra – Apt. 201
35985-999 – Portão
Belo Horizonte-MG
(31) 3366-9988, 8877-8999

Modelo de minibiografia:

Paulo Pereira dos Santos é natural de Santana-PB. Escritor, poeta e jornalista, tem dois livros publicados: “Antes de tudo” e “Até amanhã”. Paticipa de cinco antologias de poesias. Graduado em comunicação social. Menção honrosa em diversos concursos de poesia, tem dois livros no prelo e pretende lançá-los em 2012.



Fonte: Site do organizador

sábado, 16 de julho de 2011

Isaac Matos: Poeta não morre


Poeta não morre...

Poeta é sempre igual, rasga o coração e no sombreado dos momentos difíceis ele oscila, e clama sem exitar, rasga seu sonho no papel, quando seus planos tentam desmoronar
E diz: “minha inspiração encerrou, onde eu estou, sou somente a solidão de mim mesmo, nada me vem, que pavor”...

E em pouco tempo desse chorar
logo vem a luz brilhar, as cores e matizes
e volta a alinhavar palavras no seu coração
o poeta tem algo peculiar que encanta
ele tem o arco-iris nos dedos e na alma

O poeta do coração gigante tem sempre uma palavra
Que move as entranhas do seu ser poético; nostágico, ilusório,Fanático, surreal, apaixonado ou mesmo odiado, ele derrama sua essência e vai a deambular pela estrada da imaginação a saltitar inspiração...

Que muitas vezes para ele é como se fosse
uma única, talvez a derradeira ou última viagem
mas a sua marca vai ficar como uma devoção

E nessas minúsculas e pequeninas letras
Ele se derrama e ...
Torna-se grande pelo seu significado ...

Poeta chora e geme,

Mas não para,

E não morre!

Jamais!!!


Nina


Texto:
http://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=188555
Foto: Tairine Ceuta
Blog do Isaac Matos: http://isaacmatos.blogspot.com/

Infelizmente Isaac foi brutalmente assassinado e enterrado ontem no Cemitério Jardim da Saudade.

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Eu e o Fala Escritor


Quase dois anos atrás, quando pensei num encontro de escritores independentes, não imaginei a dimensão que a coisa iria tomar e nem o quanto isso mudaria minha vida. Eu era apenas um escritor independente com sede de cultura e com vontade de crescer enquanto escritor. Sim, eu já tinha um livro publicado, “Eu sou todo poema”, poucas pessoas o conhecem, algumas dizem ser melhor que o meu segundo livro “Inquietações”, inclusive minha esposa.

A primeira vez que recitei um poema foi no Sarau do ICBA, no Corredor da Vitória, tinha sido convidado através do Orkut e fui lá, meio sem jeito, inseguro, com quatro poemas impressos. Era o dia da final do Campeonato Baiano de 2008, deixei de ir ao jogo para recitar pela primeira vez em público, não me arrependo, foi uma ótima experiência, olhei para o rosto das pessoas e percebi que elas sentiram a mensagem que passei com minha poesia.

Minha segunda apresentação em público foi logo em seguida, num evento chamado Dia de Índio, realizado do Clube Recreativo no bairro de Plataforma, onde moro. Foi um evento multicultural com duas bandas de rock, duas de reggae, uma exposição fotográfica das Olimpíadas Indígenas e recital poético. Fui convidado para ser o apresentador do evento e durante os intervalos entre as bandas recitar meus poemas.

O tempo foi passando e não surgiram novas oportunidades, então criei a oportunidade, um encontro de escritores para mim seria o ideal para eu mostrar minha poesia e conhecer outros escritores e fui à busca deles na internet. Depois que encontrei pessoas dispostas a organizar comigo este encontro, levei o projeto para a Livraria Saraiva e conseguimos espaço para a realização, assim nasceu o Fala Escritor, realizado pela primeira vez em 08 de agosto de 2009.

Atualmente na 21ª edição, o Fala Escritor já foi palco de vários nomes da música baiana, recebeu mais de 25 lançamentos de livros, fez exposição de obras de arte e contou com a participação de mais de cem poetas baianos. Agradeço a Deus pelo sucesso do Fala Escritor e a todos que de alguma forma contribuem para o crescimento dele, começando pelo público que se faz presente, os integrantes de cada programação e a competente equipe que junto comigo faz acontecer.

Videos do Fala Escritor no Youtube:

http://www.youtube.com/results?search_query=Fala+Escritor&aq=f

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Minha redação para o CFO PMBA, tema II

Todo Policial Militar, é um cidadão capaz de cumprir com seus deveres e de exigir seus direitos. Sendo assim, exercendo ou não a sua função, ele deve agir sem preconceitos, respeitando os direitos dos outros cidadãos e usando apenas a força necessária para o cumprimento de sua missão.


Apesar dessa consciência, o policial militar deve ficar atento aos cursos oferecidos gratuitamente pela Secretaria Nacional de Segurança Pública, com intuito de melhor prepará-los para o atendimento a sociedade. Aproveitando assim, uma oportunidade ímpar, para uma formação profissional de qualidade.


Formação essa, que deve abordar conceitos de cidadania, ética, moralidade e justiça, discutindo também questões sobre diferenças culturais, de gênero, “raça”, cor e sexo. Essas discussões, também devem ser fomentadas pelo Estado onde o militar é ativo, em suas unidades de serviço ou em cursos específicos.


Com uma polícia em constante formação e incentivos por parte do Estado, com certeza, os índices de abusos de autoridade, violência exacerbada e de crimes cometidos por policiais serão menores. Além disso, a visão que a sociedade terá dessa polícia, será a de uma entidade que respeita e garante os direitos humanos e individuais dos cidadãos.




Obs: 26 linhas