Elisa Lucinda

Elisa Lucinda

domingo, 6 de fevereiro de 2011

A Importância da leitura na formação dos jovens de hoje


Atualmente muito se discute sobre o uso exagerado das novas tecnologias pelos jovens e a pouca atenção que eles dão aos livros e ao hábito da leitura. Esse desapego tem contribuído para uma juventude pouco politizada, com senso crítico medíocre, mal informada e distante dos problemas sociais.

É preciso investimento do poder público no incentivo a leitura para que os jovens brasileiros tenham este hábito desde a infância, contribuindo assim, com o desenvolvimento cognitivo e por conseqüência o escolar. O país sente falta dos jovens estudantes com espíritos revolucionários e atentos a questões políticas e sociais, que utilizavam a música, a poesia e o teatro para protestar contra a ditadura militar, eles eram havidos pela literatura, principalmente dos clássicos, o que falta na juventude de hoje.

Pode-se observar a mediocridade literária dos jovens atuais através das músicas mais ouvidas por eles nas principais rádios do país, para mudar essa situação, é preciso que os pais controlem o tempo que seus filhos passam no computador e nos vídeo games para que tenham tempo para dedicar-se a leitura.

Com a união dos investimentos do poder público e a ação mais presente dos pais no controle do uso das novas tecnologias o Brasil terá uma juventude leitora e capaz de discutir e envolver-se na política e na solução dos problemas sócias que tanto afetam o cotidiano do país.

Um comentário:

Delirium disse...

Penso que falta às pessoas, de modo geral, um envolvimento maior com a leitura. E não apenas leitura de livros mas leitura de mundo, daquilo que se vê e ouve. Penso também que precisamos ter cuidado e muito critério com o que se convenciona chamar de "incentivo à leitura". Nem sempre ler livros significa atribuir-lhes sentido e nem sempre comprar livros significa envolvimento com a leitura. O cuidado e a atenção vão além disso. É preciso ofertar aos jovens as ferramentas necessárias para que ele faça uma leitura consciente e crítica (um trabalho que envolve a família, a escola e a sociedade). Só assim teremos uma juventude mais ativa, atenta e consequentemente mais participativa.