Elisa Lucinda

Elisa Lucinda

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Mais mortes nas ruínas de Salvador


Atualmente, segundo a defesa Civil de Salvador existem 186 casarões históricos tombados pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) correndo alto risco de desabamento. No dia 21 de julho escrevi o artigo: “Tombamentos de prédios antigos fazem de Salvador a cidade das ruínas” comento a morte de uma pessoa num desabamento naquela data.

Naquele mesmo artigo eu já dizia que desde o dia 08 de julho já questiona em meu twitter sobre a serventia dessas ruínas para nossa cidade, porém infelizmente tenho visto que ruínas valem mais que vidas humanas. Na madrugada desta terça-feira (17) mais quatro pessoas morreram devido ao desabamento de uma dessas ruínas.

A superintendência do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – Iphan, o Governo do Estado da Bahia e a Prefeitura de Salvador decidiram antecipar as medidas do Plano de Ação que, segundo eles, começou a ser elaborado em conjunto há 21 dias. O Iphan irá gastar nos próximos cinco meses 9 milhões com estruturas de ferro para escorar as paredes dos casarões e iniciará estudos para o projeto de recuperação dos imóveis com fins habitacionais.

Infelizmente quase tudo na Bahia acontece pós morte, o quase, se dá porque nomes de pessoas consideradas importantes são colocados nas principais avenidas quando o homenageado ainda em vida, como no caso da Avenida Antonio Carlos Magalhães no abairro da Pituba as demais coisas só através de mortes.

Como acreditar que realmente esse dinheiro será investido nos escoramentos e que após os estudos, o Iphan irá executar um projeto de restauração e reconstrução dos imóveis em risco de desabamento? Por que os nove milhões e as medidas supracitadas não foram tomadas ante das mortes? Onde o governo irá colocar as pessoas que residem nesses casarões após a desapropriação? A guarda municipal irá tomar conta desses casarões para que novos moradores de rua não adentrem a esses locais ou ficarão abandonados?

Se tudo acontecer dentro dos conformes tudo bem, mas se não, a melhor coisa a fazer é demolir tudo! Sylvester Stallone terá o maior prazer em vir fazer esse serviço.

Referências:
IPHAN: http://portal.iphan.gov.br/portal/montarDetalheConteudo.do?id=15524&sigla=Noticia&retorn o=detalheNoticia
IBAHIA: http://ibahia.globo.com/plantao/default.asp
Jornal O Globo: http://oglobo.globo.com/cidades/mat/2010/08/18/em-salvador-casaroes-com-risco-de-desabar-serao-escorados-diz-iphan-917420749.asp
Debates Culturais: http://www.debatesculturais.com.br/tombamentos-de-predios-antigos-fazem-de-salvador-a-cidade-das-ruinas/
Jornal A Tarde: http://www.atarde.com.br/cidades/noticia.jsf?id=5606958
Twitter: leandroescritor

sábado, 14 de agosto de 2010

Escritores baianos levam para o maior evento literário do país, livro direcionado aos políticos do Brasil



Em ano de eleições, nada melhor do escrever para os políticos mostrando quais as reais necessidades e desejos dos eleitores. Pensando nisso, o jornalista Carlos Souza organizou o Livro Carta ao Presidente – O que deseja o brasileiro no século XXI, que será lançando no dia 21 de agosto, a partir das 16h30, na 21ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo, que acontece entre os dias 12 a 22 de agosto, no Pavilhão de Exposições do Anhembi, no horário das 10h às 22h (Av. Olavo Fontoura, 1.209 - Santana - São Paulo – SP).

O livro sairá pela Scortecci Editora – São Paulo e, tem a apresentação do professor Germano Machado. A obra é composta por 22 escritores, entre eles nomes como Ildásio Tavares, Antonio Barreto, Valdeck Almeida de Jesus, Roberto Leal, Tássio Revelat, Luiz Carlos Santos Lopes, Leandro de Assis, Leandro Flores, Marilene Oliveira, Domingos Ailton, Caetano Barata, Altair Fonseca Ramos, Grigório Rocha entre outros. Em setembro o livro será lançando em Salvador, com data e local ainda a ser confirmado, quando na oportunidade estará presente a maioria dos autores, que falarão sobre seus textos políticos.

Carta ao Presidente destina-se a todos os governantes do povo. "Presidente, governadores, prefeitos, senadores, deputados, vereadores, enfim, a todo o poder constituído dessa nação. Mas não para por ai. Além do objetivo citado acima, tem o de provocar o interesse do povo para as questões políticas de seu país", informa Carlos Souza, o organizador.

Na apresentação, o prof. Germano Machado fala que a principal mensagem do livro é a multiplicidade de opinião sobre o atual Presidente da República sem nenhuma pretensiosidade, sem nenhum embate político partidário. "A importância do Livro Carta ao Presidente é a singularidade de escritores iniciais, e outros mais avançados quererem levantar uma visão sobre o atual Presidente do Brasil. E, daí a importância desse texto que não é pretensioso, em ouvindo vários escritores já apresentar uma visão de julgamento, que não é condenatória nem partidária".

Para a escritora Morgana Gazel que assina o texto da contra capa, "quando brasileiros exercitam a cidadania num livro como Carta ao Presidente, apontando contradições que eles observam ou sentem na própria pele e para as quais reclamam solução, a leitura deste livro faz-se tão necessária e oportuna que, ouso afirmar, deve ser considerada imprescindível nas escolas do Brasil".

O organizador - Carlos Souza é jornalismo e profissional de marketing. Tem atuado na área de assessoria de imprensa e marketing pessoal para escritores, instituições culturais e artistas de modo geral. Também é radialista, professor e palestrante. Autor do livro Revolução Pessoal – Seu Próximo Desafio, no qual demonstra que é possível enfrentar desafios de modo a alcançar as metas pessoais. Além disso, participa de dez coletâneas. É verbete do Dicionário de Autores Baianos da Secretaria de Cultura e Turismo da Bahia e da Enciclopédia da Literatura Brasileira Contemporânea, Volume XIV, 2009, Rio de Janeiro/RJ, organizada por Reis de Souza.

Tem artigos publicados nos jornais: A Tarde, Correio da Bahia, Tribuna da Bahia, Bahia Notícias, Tribuna Evangélica, Primeira Página, e a Voz do Cepa. Membro da Academia de Cultura da Bahia e colaborador do Círculo de Estudo, Pensamento e Ação (CEPA), da Fundação Òmnira e do Projeto Fala Escritor.

Informações: 71 8122-7231

E-mail: carlossouzamkt@hotmail.com

www.carlossouza.zip.net

http://www.bienaldolivrosp.com.br/A-Bienal-do-Livro/Pre-Lancamento-de-Livros