Elisa Lucinda

Elisa Lucinda

domingo, 9 de maio de 2010

Olha meu nome no Jornal A Tarde

Atualmente algumas ações têm acontecido em Salvador com a missão de proporcionar um novo momento para os escritores. São os chamados “Encontro com Escritores”, que oferecem a oportunidade para o público leitor conhecer aqueles que estão escrevendo na Bahia. Entre estas iniciativas, está o Projeto Com a Palavra o Escritor, da Fundação Casa de Jorge Amado, criado em 1994 e, desde então, vem promovendo encontros entre o autor e os leitores, possibilitando assim, que o público tenha um contato com estes profissionais da palavra e possam conhecer suas obras. Ao longo desses 16 anos, já passaram por este projeto muitos escritores, críticos, historiadores e tradutores, entre eles nomes como Florisvaldo Mattos, Ildásio Tavares, Hélio Pólvora, Ruy Espinheira Filho e Carlos Ribeiro.
Nesta mesma linha está o projeto Encontro com o Escritor, da Fundação Pedro Calmon, iniciado em 2002, e realizado nas Bibliotecas Públicas do Estado. Nada mais original do que levar para o templo dos livros, os escritores. A proposta do projeto é promover a aproximação entre escritores e leitores, através de encontros mensais, com o objetivo de despertar o hábito da leitura nos freqüentadores das bibliotecas. A fundação homenageia os escritores pelo seu trabalho, além de possibilitar a oportunidade de que os mesmos possam divulgar suas obras. Até o ano de 2009, já haviam passado cerca 70 escritores pelas bibliotecas, falando sobre seus livros e processo criativo. Entre eles está o escritor e cartunista Antonio Cedraz, Gláucia Lemos, Miriam Fraga, Dalila Machado e Antonio Barreto.
Com um formato diferente, mas com a mesma intenção, nasceu em 2009, o Projeto Fala Escritor, criado pelo historiador e poeta Leandro de Assis, com a colaboração dos escritores Carlos Souza, Fau Ferreira, Grigório Rocha, Monique Jagersbacher, Renata Rimet e Valdeck Almeida de Jesus. Durante uma vez por mês, o Fala Escritor reúne nos grandes Shoppings da cidade, dezenas de poetas e escritores que participam de uma programação composta por recitais de poesia, lançamentos de livros, apresentações musicais, mostra de artes plásticas e palestras com temas de interesses dos escritores.
Esta foi uma alternativa criada pelos jovens escritores para divulgar seus trabalhos. Seu objetivo é unir os novos autores baianos e incentivar a leitura, a escrita, a publicação e o lançamento de livros, além de disseminar informações pertinentes à literatura e ao mercado editorial. Este projeto tem se tornado um espaço importante para o movimento literário dos escritores da geração 2000, que estão em busca de uma identidade no cenário baiano.
Tais “encontros” têm provocado um novo ânimo nos atuais artistas da palavra, que lutam para fazer seus livros chegarem à mão dos leitores, em um momento que os brasileiros lêem tão pouco.

Carlos Souza / Jornalista – membro do CEPA - Círculo de Estudo Pensamento e Ação e da Academia de Cultura da Bahia Artigo publicado no Jornal A
Tarde – Populares – Segunda-feira. Dia 19/04/2010

Um comentário:

Paulo Fernando disse...

Parabéns, Leandro. Você merece!