Elisa Lucinda

Elisa Lucinda

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Quinta edição do Projeto Fala Escritor

Meus caros e minhas caras é com satisfação e orgulho que o Projeto Fala Escritor convida para sua 5ª edição, que acontecerá no dia 24/02/2010 (quarta-feira), às 15:40 min, na Câmara Municipal de Salvador - Praça Tomé de Souza, Centro (próximo ao Pelourinho)

Programação

Apresentação:
Leandro de Assis

Abertura e intervenções musicais:
Dé Barrense

Recital Poético: Renata Rimet, Leandro de Assis, Valdeck Almeida, Monique Jagersbacher, Grigório Rocha, Fátima Ferreira, Malu Freitas, Bruno Máriston, Pinho Sannasc, Carlos Alberto Barreto, Janaína de Oliveira, Jaime Poeta, Sandra Stábile, Paulo Fernando, Carlos Souza, Rita Maria, Nádia Cerqueira, Mel Cordeiro,Varenka de Fátima, Tassio Revelat, Lucymar Soares

Lançamentos:
Antologia de Poesias e Poemas – Janaína de Oliveira
Um pouquinho – Renata Rimet

Stand de Livros:
Venda de livros de escritores independentes da Bahia

Show de encerramento:
Caminhos Abertos – Carlos Venttura
*Entrada Franca

Câmara Municipal de Salvador
Praça Thomé de Souza 40.020-010 - Salvador - Bahia - Brasil

Contatos:

Tel.: (71) 8831-2888

falaescritor@hotmail.com

leandroicp@hotmail.com

www.falaescritor.blogspot.com

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

FEIRA DO ROLO






Na Feira do Rolo é possível encontrar de tudo, material hidráulico, elétrico, vasos sanitários, bicicletas e peças para bicicletas, aparelhos eletrônicos antigos, ferramentas, sandálias, panelas, controle remotos, enfim o que você imaginar de coisa usada, velha, semi nova e até mesmo nova, como é o caso das roupas de grife falsificadas.

Trocar uma coisa por outra aqui na Bahia pode ser entendido como “fazer rolo” ou “fazer jogo” e quem é adepto desse tipo de negociação é conhecido como, aquele que é “bolo doido” ou que é “correria” novo termo usado para quem não fica parado esperando cair do céu o pão de cada dia, mas na Feira do Rolo não rola (tem/acontece...) apenas rolo, existe um comércio informal de compra e venda desses utensílios.

A Feira também é conhecida por algumas histórias, como a do cara que te vende aqui e te rouba ali mais na frente; se for comprar uma bicicleta, vá de carro e compre, coloque na mala e se pique (vá embora); também não falta história de quem tenha ido comprar na feira e conseguiu reduzir o preço do objeto de interesse até 80%, afinal, é roubado mesmo, é o que todos dizem.

Falando em roubado, a maioria das pessoas presas com arma de fogo em Salvador diz a polícia ou em entrevista que conseguiu a arma na Feira do Rolo, ninguém dúvida da venda de armas de fogo lá, porém é uma boa saída para não dizer na mão de quem comprou ou conseguiu a arma, afinal na feira nem todo mundo tem barraca, na verdade há poucas barracas, a exposição das mercadorias é feita no chão mesmo.

Se quiser encontrar seus pertences que foram roubados no carnaval de Salvador, dá uma passadinha lá no domingo, o primeiro após o carnaval o faturamento é alto com celulares, câmeras, correntes, relógios, pulseiras, malas, tênis, carteiras, bolsas, MP3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10, 11 e 12, já tem o 13? Boa sorte!

Obs: A Feira do Rolo fica na Baixa do Fiscal ao lado da Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos.

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Deus é meu refúgio (vencendo as tentações)


Quando minhas forças se vão
E penso em desistir
Busco refúgio Naquele
Que morreu na cruz por mim

O encontro no louvor
Em meio à adoração
Eu declaro meu amor
Abro meu coração

Sozinho eu não consigo
Vencer a tentação
Por isso te peço
Segura-me em tuas mãos

Ajuda-me a prosseguir
Sem olhar para trás
Eu preciso de Ti
Cada dia mais e mais.

Alegro-me no Senhor
O Príncipe da paz
Com Ele sou vencedor
Sua presença me satisfaz.

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Malungu's



Éramos jovens e guerreiros
Lutávamos pelas nossas "tribos"
Nossos deuses não eram estrangeiros
Cada etnia tinha seu deus nativo.

Nossa inimizade teve que ter fim
Fomos caçados e vendidos
De nossas famílias arrancados
E entregue a portugueses para castigo

No navio que atravessava a calunga
Estávamos amarrados e com fome
Muitos morreram doentes
Nem a história saberá os nomes

De inimigos nos tornamos malungu's
Companheiros do mesmo sofrimento
Chegamos ao Brasil, todos imundos
Para trabalhar como se fossemos jumento

Aprendemos com o sistema
A comprar nossa alforria
Lutamos contra o N'goma
Nos becos da Bahia.

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Protestos antecedem o Carnaval de Salvador

Durante anos o carnaval de Salvador e outras festas populares foram eram vistas como política do pão e do circo realizada por governantes baianos para calar a boca do povo em relação às precariedades da vida social baiana. O grupo de pagode Terra Samba cantava: “Como esse povo que sofre com fome, que passa mal vai batucar na panela vazia e fazer carnaval”...

Nos últimos anos a coisa tem mudado, não estou levando em consideração um bando de gente bêbada que saí do Garcia puxando o irreverente bloco Mudança do Garcia, que todos acham engraçado, devido à irreverência dos protestos, porém não trazem nenhuma mudança na sociedade, no máximo conseguem alguns comentários das emissoras que transmitem a festa.

Estou falando de ações realizadas com inteligência, por grupos de funcionários públicos municipais e estaduais que aproveitam as proximidades da festa para reivindicar seus direitos ameaçando entrar em greve no período dos festejos populares. Neste momento, vários servidores municipais de várias secretarias estão mobilizados, são elas:

Secretaria de Serviços Públicos e Prevenção à Violência (Sesp), Guarda Municipal, Salvamar e das superintendências de Controle e Ordenamento do Uso do Solo do Município (Sucom), Trânsito e Transporte (Transalvador), e Conservação e Obras Públicas (Sucop).

Na esfera estadual quem ameaça entrar em greve é a Polícia Civil, que realizou hoje às 09h30min uma reunião para decidirem se irão parar durante os festejos do carnaval, além disso, ainda desfilarão no circuito Osmar, da Piedade até o Campo Grande com o bloco 'Cadê a minha URV?'

Já existe uma liminar na justiça proibindo os polícias civis de entrarem em greve no período do carnaval, mas será que alguém assinaria um liminar obrigando o governo a pagar a URV dos policiais? Ou obrigando a contratação dos 230 agentes que deixaram seus empregos para ingressarem no curso de formação da polícia civil?

O povo baiano já cansou de batucar na panela vazia e fazer carnaval e contra o povo estão jornalistas e comentaristas de TV e mídia impressa que lucram com o carnaval da Bahia e pessoas da classe alta da sociedade baiana que ignoram os movimentos sociais e se valem da pobreza para ganhar dinheiro.

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

I Concurso Literário Ebenézer

Estão abertas as inscrições para o I Concurso Literário Ebenézer. O período de inscrição se estenderá até 30 de novembro 2010.

Tema: Até aqui nos ajudou o Senhor

Objetivo: Despertar o interesse dos cristãos pela arte e cultura, através da produção literária. Contando através de poesia, crônicas ou letra de música não gravada, como o Senhor Jesus os têm ajudado até aqui.

Poderá se inscrever qualquer pessoa, com até três (03) textos inéditos de sua autoria.

Os textos deverão ser digitados e identificados mediante pseudônimo do autor e encaminhados para:
concursoebenezer@hotmail.com

Junto com os poemas, o inscrito deverá enviar as seguintes informações: nome completo do autor; endereço completo, com CEP; número de RG e CPF; telefone, com DDD; e-mail; o blog ou site pessoal (opcional); título dos textos e uma pequena biografia do autor, de no máximo cinco linhas.

O simples ato da inscrição implica na concordância do autor/escritor em ceder os direitos autorais de seu texto apenas para a primeira edição do livro.

Textos digitados em Word, corpo 12, Times New Roman, até 30 linhas cada texto.

Os textos selecionados pela Comissão Julgadora deverão ser apresentados ao público no site
http:/concursoliterarioebenezer.blogspot.com/ e ficarão expostos no dia 31 de dezembro às 22h. O livro ficará pronto até 60 dias após o anúncio dos classificados.

A seleção dos trabalhos será feita por uma comissão julgadora formada por escritores e/ou pessoas de reconhecida capacidade intelectual, vinculadas a um Ministério Cristão.

Serão selecionados cinquenta (50) textos, entre os participantes e, em etapa posterior, escolhidas entre eles os quinze (15) melhores, premiando-se os seus autores com um exemplar do livro publicado.

Taxa de inscrição:
R$ 5,00 (cinco reais) por texto enviado. O valor deverá ser depositado no Banco do Brasil, agência 1237-8, conta corrente 37 221-8, favorecido: Leandro Cunha de Assis. Comprovante deverá ser enviado junto com os textos pelo e-mail ou através dos Correios para:

Leandro de Assis
Rua Guararapes, 06
40710-670 – Plataforma
Salvador-BA
BIOGRAFIA DO ORGANIZADOR

Leandro Cunha de Assis nasceu em Salvador/BA, em 14 de Junho de 1982.
Formado em História pela UNJORGE.
Membro do Ministério Internacional do Salvador - Apóstolo Sóstenes Souza

Livros Publicados:

“Eu Sou Todo Poema”, CBJE - Câmara Brasileira de Jovens Escritores, Rio de Janeiro, 2007.

“Inquietações – poemas de Leandro de Assis”, Ponto de Cultura Editora, Maricá/RJ, 2009.

Participação em livros:
Um dos vencedores da oficina literária realizada no estande do escritor Valdeck Almeida de Jesus, durante a VIII Bienal do Livro da Bahia, resultante no livro Poemas Que Falam.

Um dos vencedores do III Prêmio Literário de Poesia Valdeck Almeida de Jesus.

Um dos vencedores do IV Prêmio Literário de Poesia Valdeck Almeida de Jesus.

Participa da Antologia Poética Mãos que Falam, lançada no Fórum Social Mundial em Janeiro 2009.

Um dos selecionados para a Antologia Carta ao Presidente, organizada pelo escritor e jornalista Carlos Souza.

Colaboração Literária:

Idealizador e um dos organizadores do Projeto Fala Escritor, realizado até o momento na MegaStore Saraiva Salvador Shopping.

Colunista da revista eletrônica Debates Culturais (
www.debatesculturais.com.br)

Textos publicados:
· Escritores baianos se encontram no Fala Escritor
· Novo encontro de escritores baianos
· Pierre Joseph Proudhon, O “Profeta” Anarquista
· Depois de Velho
· Gente Podre
· Travesseiro Pet
· Piratas na Baía de Todos os Santos
· Acusado de pedofilia em liberdade

Mantém os blog’s:
www.malungupoeta.blogspot.com e www.falaescritor.blogspot.com

Pelo amor de Deus

Difícil de entender pela razão
O que só o espírito pode sentir
Por várias vezes pedi perdão
E em nenhuma delas menti.

Estando arrependido e de joelhos
Em prantos, clamando pela cruz
Pelo sangue derramado do Cordeiro,
O sangue poderoso de Jesus.

Eu mesmo não me perdoaria
Pelos pecados que cometi
Mas Ele é Santo e misericordioso
E para sempre o irei seguir.