Elisa Lucinda

Elisa Lucinda

sábado, 2 de maio de 2009

TERRA DE ÍNDIO


Coisa boa já foi viver aqui
Quando a terra era de índio
Com muito verde pra curtir
Não haviam estradas,
nem mesmo país.

Nossos rios tinham peixes
Nossas árvores davam frutos
Não existiam desmatamentos
Nem vazamentos em oléo-dutos
Hoje, os índio vivem em reservas
E eles lutam para preservá-las
Contra aquele que as invadem
Com intensão de desmatá-las

Mas o índio não dá mole
Ela luta e com razão
Enfrentando o invasor
Seja com armas ou facão

É por isso que hoje em dia
Criou-se o seguinte jargão
"Tal lugar é terra de índio
É melhor não ir lá não".

A quinhentos anos foi mais fácil
Quando o homem branco chegou aqui
Fazendo os índios de escravos
E matando os que tentaram resistir.
Mas hoje é tudo diferente
Pois quiser que tente
Invadir a terra de índio
Ele estará te esperando
Todo armado até os dentes

Ainda assim não há lugar
Melhor do que terra de índio
Há muito verde e puro ar
Não é preciso condôminio.
Mas isso não é pra qualquer um
É pra quem sabe preservar
O melhor que se tem a fazer
É deixar os índios lá
Vivendo bem com a natureza
Pois entende que é o seu lar.

Um comentário:

CARLOS CONRADO disse...

Fala amigo, estou sim em minha terra. A Bienal deixou saudades. Paz e bem evamo ficar mantendo contato. Até