Elisa Lucinda

Elisa Lucinda

sábado, 21 de março de 2009

Salvador da Ignorância




Nessa Salvador da ignorância
De ricos que desmatam
De Postos (de) sem Saúde
De Políticos que não discutem
O futuro da nossa cidade.
Os médicos não têm educação
Os pacientes já não têm paciência
Os pobres estão morrendo no chão
Coitados dos que estão na emergência.
Cidade vendida para turistas
Que vem atrás de carnaval
Curtem a festa, mas deixam doenças
Todo mundo sabe, depois de fevereiro
É tempo de viroses e de passar mal
O transporte público é lamentável
Mas só sabe quem necessita usar
E o Secretário que anda de carro
Não é visto na Estação Pirajá!

Este ano o nome dado a virose que assolou
a população da cidade após o carnaval foi Dalila.
Nos "Postos [de] sem Saúde da cidade quem não
está com dengue está com dalila.

Um comentário:

Fau Ferreira disse...

Legal o poema, gostei muito... Só faria uma modificação: de políticos que (des)matam... rsrrss

Um abraço,