Elisa Lucinda

Elisa Lucinda

sexta-feira, 3 de outubro de 2008

A Sanidade Dói


Tem horas que nem mesmo
Uma Palavra
Nem uma canção
A música que anima
No momento da aflição
A vontade é de gritar
Quebrar alguma coisa
Esmurrar ou chutar uma porta
"picar" a cadeira no espelho
Assanhar os cabelos
Enfim, ser louco
Sair por aí
Sem se importar com nada
Com as pessoas
Com as regras sociais
Com o pudor
Com o normal ou anormal
Como se diz por aí
Chutar o pau da barraca
Mandar tudo a merda
Nessas horas eu entendo
Porque é que alguns
Fogem à realidadade
É que as vezes
A sanidade dói!

Nenhum comentário: